Arquivo para outubro \30\UTC 2008

30
out
08

jogando por música – parte 1

A parceira esporte + música  ocorre já não é de hoje. Mas parece que  agora o  sportswear já  abriga esse nicho de uma forma  mais oficial.

Um bom exemplo disso é a  série  especial SOUNDS OF MUSIC que a  Adidas lançou pra comemorar o aniversário do 35 anos do lançamento do tênis Adidas Superstar e convidou pra festa as grandes gravadoras da época em que  foi lançado. 

No post de hoje apresento alguns itens da pioneira  gravadora norteamericana de black music chamada MOTOWN.

 

 

 

Pra quem não sabe, essa foi a  gravadora de nomes como Jackson 5(+Michael Jackson) , The Supremes (+  Diana Ross) e Steve Wonder… 

O que me chamou atenção também foi o otimo acabamento, o cuidado nos detalhes, como o adidas superstar feito de veludo canelado, bem em voga na época.

 

aguardem que ja mostrarei mais  ótimos exemplos

=)

Anúncios
22
out
08

abrindo espaço no guarda-roupa

Pra depois não dizerem que eu não avisei nada por aqui, já vou informando que decidi abrir espaço no meu guarda-roupa e então coloquei algumas camisas raras de minha coleção à venda no Mercado Livre. é a chance que alguns poucos poderão ter  de descolar  camisas raras como a  da Turquia de 2000, e a de Rugby da Argentina de 2001, bem antes de ter assinado com a Adidas.Isso sem falar que é uma camisa de rugby sevens , ou seja, é praticamente uma 3a  camisa da seleção.Puta raridade.

Se não me  engano, tá  acabando o prazo, mas algumas deve ser reanunciadas, e  em breve vou anunciar outras de menor valor também. O link dos meus produtos à venda é esse:

http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_15804005

21
out
08

qué qué esso!!

 

Foi essa minha reação quando vi esse absurdo abaixo:

imaginem vocês , uma camisa da Umbro, pra seleção brasileira nessas cores e ainda por cima patrocinada pela  Opel!

 

Medo…muuuito medo!

=O

 

pra provar que não é montagem: veja o link do vendedor canadense 

20
out
08

Nike5: Visão perfeita e visual idem

Já que só se fala na Copa de Futsal vencida ontem pelo Brasil, me lembrei de uma outra modalidade bem semelhante com esse esporte, o street football, ou algo assim. 

A diferença é que é jogado com 5 de cada lado (por isso chamado de five-a-side), sem goleiro e mostrando bastante habilidade. Na real eu sei pouco desse esporte, apenas que é bastante popular na Inglaterra. Mais que o futsal, e por isso a Nike aposta pesado nesse mercado por lá. Tanto que lançaram a ninha Nike5.

O interessante dessa linha é que ele tem outra concepçao de design, se comparado ao futebol convencional, tudo pra dar suporte aos que praticam esse esporte que é 4x mais rápido  e com 4x mais contato que o futebol normal.

Eles possuem um ótimo hotsite sobre o tema, mas, de prévia,  veja uma das peças que achei por aí:

 

eu achei mto do legal esse visual todo moderno, totalmente livre dessas babaquices tradicionalistas que os  clubes e  torcedores tanto exigem. Assim sendo,  o 5-a-side é o lugar pr a grandes inovações sem dor na consciência.

 

Apenas uma coisa eu  achei esqusita: porque carajos esse patrocinio escrito “Visão perfeita”? Algum link com Portugal? Ainda mais com esse detalhe ” pontos marcados” escrito :

Outra coisa que me deixa ainda mais  intrigado é que a bola que a Nike recém lançou pra esse esporte se chamada “ROLINHO MENOR” … que puta nome esquisito,né?

17
out
08

“camo” style

Roupas com estilo “camo” (camuflado, num inglês verbal) já estão aí já faz muito tempo, sempre vindo com  variaçoes de cores, formas e usos. Mas… e no esporte?

No futebol propriamente dito só temos  registro dos modelos do St. Pauli (time de Hamburgo, Alemanha), só que já que é numa cor bem clarinha (foto ao lado)

, não tem assim tanta graça e não passa  aquele  espírito realmente militar.

Já que historicamente militarismo é sinonimo de Estados Unidos, nada mais natural que os ianques aliassem essas duas paixões: esporte e guerra [ironia mode: on].

 

Muitos dos modelos apresentados eu não tenho noticia se foram realmente usados, mas ao menos são produtos licenciados e fabricados pelas proprias fornecedoras do clube, e de repente foram sim utilizados em alguma ocasião. Confiram alguma peças curiosas divididas por esporte.

.Baseball:

 

[ Chicago Cubs (parece Cuba,ehheh), Chicago White Socks e Los angeles Dodgers ]

 

 

 [ San Diego Padres ]

 

[ Cincinatti Reds ]

 

Esses modelos parecem um verdadadeiro fardamento de guerra, e denota logo um certo apoio à guerra do Iraque, sei la… coisa de americano viciado em guerra, mas mesmo assim, alguns modelos como o dos Sock e Dodgers até que ficaram bonitos,né?

 

Futebol americano:

 

[ Green Bay Packers ]

 

                                         [Florida Gators (NCAA – Liga Universitária ) ]

 

Eu achei esses dois modelos bem mais ou menos: o primeiro pareceu um estampado de tudo quando é vegetaçao  seca, e  esse  segundo  tentou  conciliar , sem sucesso, o laranja com bege e o padrão  “‘camo chocolate chip”…

 

-Basquete:

[Denver Nuggets ]

Essa camisa foi a que eu achei mais interessante. Primeiro porque é feita por uma empresa grande como a Adidas (não que a Majestic – que fez as de baseball-  nao seja, mas é só pra esportes “americanos”), a a gigante marca alemã não apostaria alto em qualquer bobagem estética.  E outra que, estranhamente, o camuflado mais fechado pro cinza, acabou casando muito bem com o azul claro e branco do time de jogador Nenê, não? Coisa de quem estuda e analiza a estética das cores antes de fazer qq coisa por aí…

=P

13
out
08

[ESPECIAL] Literatura + Esporte + Moda + Marketing

Esse post especial é para, além de apresentar ao grande púlbico, RECOMENDAR a leitura do livro “INVASÃO DE CAMPO” à todos que gostam de saber como que toda essa paixão por uniformes esportivos começou e se tornou um negócio bilionário. 

 

No livro, lançado em 2007,  a escritora holandesa Bárbara Smit conta, de forma romanceada, como uma simples briga de família gerou uma rivalidade que não só dividiu uma cidade alemã como polarizou tal como na Guerra Fria, os grandes poderes do negócio esportivo.

 

 Uma façanha de Barbara Smit é narrar uma história longa (são umas 300 páginas) de forma envolvente, que prende a  atençao e dá vontade de ler ainda mais pra saber o que vai acontecer no próximo capítulo, isso sem contar que a história em si lhe dá outra noçao de mundo esportivo, depois de ler o livro, vejo esse mundo com olhos completamente diferentes. Não vou contar a história do livro pra não perder a graça, mas algumas coisas que posso adiantar que esse livro me esclareceu e ensinou foi:

 

-assim como a Nike surgiu numa garagem de casa, a  Adidas surgiu na lavanderia de uma, utilizando couro de botas deixadas espalhadas nos campos pelos soldados na Primeira Guerra Mundial.

-o irmão de Adi Dassler e fundador da Puma, Rudolf Dassler, foi o primeiro de sua vizinhança à se filiar ao Partido Nazista na década de 30. Será que os dirigentes da Federeção de Futebol de Israel desfizeram o contrato com a Puma e assinaram com a  Adidas depois que leram esse livro??? Do jeito que esse povo é paranóico…

-antes da Adidas, quem usava 3 listras era uma marca finlandesa chamada Karhu, mas Adi Dassler não era bobo  nem nada e, só no papo, conseguiu que eles abdicassem das 3 listras por uma merreca mais duas garrafas de birita.

-o primeiro calçado a fazer sucesso entre os  astletas americanos se  chamava “AS”, que pra gente tambémsignifica “às”, mas pros americano parecia “bunda”mesmo

-Adi Dassler era tão bom de papo que foi uma das poucas indústrias que conseguiram se infiltrar pela cortina de ferro, fornecer material para várias delegações desses países e INCLUSIVE estabelecer fábricas nesses países. Uma grande façanha pra época.

-Addas era o nome que  Adi Dassler queria registrar, mas foi impedido por já haver uma marca de calçados infantis com esse nome. E já a Puma passou a ter  esse nome porque o nome desejado por seu dono, RUDA (abreviação de Rudolf Dassler, seu criador) soava muito grosseiro.

 

-A relação da Adidas com Canadá e França é intensa não é de hoje: o Canadá foi o primeiro pais a ter um representante/forncedor da  adidas (talvez por isso que eles criaram inclusive um logotipo “exclusivo” pra eles).  A França teve importância ainda mais crucial, já que a primeira fábrica fora do país foi lá, e o sistema era tão diferente que eles desenvolviam e distribuiam seus tênis independente da sede alemã e inclusive disputavam mercado com ela. 

 

 

-O Trefoil, conhecido logotipo clássico da  adidas foi inspirado nas coroas do brasão

que aparecia na jaqueta dos atletas suecos durante uma Olímpiada. Provavelmente esse logotipo ao lado.

 

-O filho de Adi Dassler, Horst Dassler, foi o cara que fez a  empresa ser o que é hoje. Era um administrador-nato, que não mediu esforços para colocar a marca Adidas em cima das  outras, não importa que métodos fossem necessários.  Subornos, embargos alfandegários forjados pra atrapalhar concorrentes e jogadas políticas com o alto-escalão do esporte foram algumas das práticas para esmagar as concorrentes.  Só pra vocês terem idéia, o Joseph Blatter só entrou pra trabalhar na  Fifa por indicação de Horst Dassler, e não passava de um bajulador do executivo alemão…

-foi Horst Dassler quem criou o negócio milionário do Marketing Esportivo, ao abrir a companhia ISL, que teve a ótima sacada de vender  direitos de imagem e transmissão de eventos esportivos para companhias e emissoras.

-Adi Dassler era um sapateiro apaixonado pelo seu ofício, que  curtia mais perder horas desenvolvendo um novo modelo do que ficar adminstrando e fazendo sua empresa crescer. Uma das suas atitudes que hoje pode ser vistas como um absurdo, foi que ele chegou a resistir insitentemente a essa  “idéia louca de criar roupas esportivas”. Depois de muita insistência chegou  fazer alguns agasalhos só pros atletas, mas muito a contragosto. Uma outra de suas frases quanto ao tema foi algo como ” agora só vai faltar a gente fazer roupa pra natação…” . DEU NO QUE DEU…

-Em função desse  desamor de Adi pelos uniformes esportivos que na década de 70 foi feito o que pode ser considerado o acordo mais absurdo já feito na história dos uniformes esportivos. Na Inglaterra, quem era o representante das chuteiras e bolas Adidas era justamente a UMBRO, que na época só se preocupava com os uniformes. Depois 

que a Adidas resolveu fazer roupas esportivas  e tomou  gosto pela coisa, foi muito custoso pra Umbro desfazer esse contrato onde ela passoou a fornecer material da própria concorrente…

-foi um fucionário da Puma brasileira que, numa viagem para Buenos Aires, viu jogar e assinou contrato de exclusividade pra Puma  com um jogadorzinho jovem e rechonchudo chamado DIEGO MARADONA.

-A Nike quase se chamou Dimension Six, e cresceu  pelo fato das outras empresas ignorarem o mercado dos  consumidores casuais, que não são atletas profissionais. No início, chegou a desenvolver tênis bem esquisitos como um de nome “Vagina” (isso mesmo!), pois “parece  assustadora, mas a  sensação dentro  dela é ótima”, argumentava o criador… A primeira tentativa da Nike entrar no mercado do futebol foi nos anos 80, na Inglaterra. Apesar de investirem bem, ainda não tinham expertise na fabricação do artigo, e por isso algumas vezes os  atletas patrocinados pela marca terminavam a  partida com suas chuteiras completamente  descosturadas,  caindo aos pedaços em míseros 90 minutos de jogo…

-A Reebok começou a ter sucesso nas vendas ao lançar nos  anos 80 um tênis clássico pra época, que surgiu justamente ao acaso, quando a fabrica jáponesa enviou à sede inglesa a peça-piloto de um tênis com o tipo de couro  errado, bem mais fino e flexivel do que o normal.

-Nos final dos anos 80, com a Adidas em crise, QUASE QUE A FIFA IA SER PATROCINADA PELA NIKE. Já imaginaram isso? As bolas das competições,  roupas dos àrbitros…tudo com o Swoosh? 

-Nessa mesma crise, a  Adidas chegou a cometer algumas sandices para reconquistar o mercado que tinha virado mais pra moda “casual esportiva”. Nisso, chegou a lançar um tênis cujo cadarço tinha sabor (algém já se imaginou comendo ou chupando um cadarço de tênis??), e também seu primeiro comercial de TV, que foi  vetado na hora, por ter uma estética visual semelhante por demais com o documetário “Olímpia” de propaganda nazista.

-Já naquela época a Adidas era uma holding 

de  empresas, que entre elas figuram a Le Coq Sportiff (usada por horst para deschavar o crescimento absurdo da Adidas francesa), Arena (para esportes aquáticos), Pony (para esportes norte-americanos, e tempos depois ingleses) , Erima (uma marca mais  simples que por causa do poder da Adidas forneceu material pra seleção alemã durante um período) e outras.

-Durante a copa de 90 que Bernard Tapie, uma investidor excêtrico comprou a  Adidas. Ele também era dono do Olympique de Marseille, inclusive na época dos escandalo por suborno… 

-A linha  Adidas Equipment foi lançada para diferenciar os  artigos usados por atletas dos outros casuais já tão difundidos nos anos 80.

Ah, e ia me esquecendo: 

-uma frasezinha mal interpretada que foi o estopim dessa briga que tomou proporções históricas e transformou o mercado de Moda Esportiva. Ou seja, muito cuidado com o que diz…

Isso é só uma prévia do que os  espera na leitura. Imperdível.

 

PS:e pensar que eu só descolei esse livro e descobri tudo isso porque encontrei um cartão-presente da Saraiva no chão acarpetado de uma sala de cinema ,hehehe

=)

12
out
08

rainbow style

Pros que não sabem, hoje aqui no Rio, além do Mundial de Meia-maratona (+ dia de N.S.Apareccida + dia das Crianças) é dia da Parada do Orgulho GLS/GLBT na praia de Copacabana (ou seja, há poucos metros daqui de casa).

Em homenagem a  essa  galera, me  lembrei de uma camisa que, mesmo sendo  rainbow, me deu muita vontade de ter. Apresentando a vocês, uma animada camisa de treino do Kansas City Wizards:

Não sei o que vocês acharam, mas eu  achei bastante equilibrada pra uma camisa “rainbow”. E ironicamente, a unica  coisa que ficou  intrusa na parada foram as 3 listras, num sem-graça “estilo RGB” de cetim… 

Na boa, se eu tivesse uma  camisa dessas, eu  teria a  cara  de  tirar as listras e sair  por aí feliz, fazendo uma justa e “macha” homenagem aos meus amigos e amigas com “o gosto diferente da maioria”…

=)

Até ja postei aqui,mas não custa mostrar mais uma vez e com detalhes um modelo que esse mesmo time usou , provavelmente poucos anos antes dessa ousadia:




Esse blog é dedicado à todo tipo de roupa que tenha algo relacionado à esporte, do Cricket ao Futebol Gaélico. Esporadicamente postarei algo de StreetWear quando interessante.
Carioca, 28 anos, colecionador de sportwear há pelo menos 13 anos e cursando o 2o. ano de Moda da Universidade Cândido Mendes(RJ). Não me limito à colecionar peças de futebol apenas. Já que meu foco é antes de tudo a estética da roupa e a "wearability" (além da história e preço da peça), me intesso por uniformes de Rugby, Polo Eqüestre, Basquete, Volleyball, Hockey, Cricket, Futebol Australiano ,Futebol Gaélico e qualquer outro esporte que inventarem e tiver um uniforme bonito pra se usar por aí...
outubro 2008
S T Q Q S S D
« set   nov »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Minha Coleção + peças à venda

Blog Stats

  • 711,626 hits