Archive for the 'Pérolas' Category

13
dez
12

Influencia sulafricana e croata num time da Malásia

Vira e mexe descubro alguns times que são o verdadeiro samba do crioulo doido, e a bola da vez é Kelantan FA, atual campeão do Malásia (ou Malaião se preferirem).

Imaginem um clube da Malásia cujo escudo tem o mesmo antílope (ou veado, sei lá…)  símbolo da seleção sulafricana de rugby e o uniforme sempre tem um padrão tabuleiro de xadrez ao melhor  estilo da Croácia…

Comparem com o escudo da seleção sulafricana de rugby

Coincidencia ou não, o técnico e o diretor do clube sao croatas, mas na  história do clube não aparece nenhuma razão histórica para esse uniforme.

 

Eu descobri esse time pelo   eBay, mas você pode achar vários modelos anteriores a esse no oldfootballshirts.com  mesmo.

🙂

 

02
dez
12

Especial Viagens (edição 15) – Tallinn (parte 4: o lado russo da história)

Como muitos sabem, a Estônia fez parte da União Soviética até 1991, e por conta disso ainda muitos russos e estonianos de origem russa vivem no país. Apesar de haver uma certa tensão às vezes, esse tipo de convivência é algo muito peculiar que não cabe muito a esse blog ficar levantando. Pra falar de sportswear então, mostro agora algumas coisas que vi por aqui que remetem à mãe Russia.

Pra começar, nos meus primeiros dias de Estonia, fui para uma feirinha simples que tem aqui, conhecida como Keskturg,  onde todos vendedores são russos, vendem produtos russos – inclusive há bancas e loja de DVD só com revistas, livros  e filmes russos – e nem estoniano falam.  Lá eu encontrei o primeiro sinal de sportswear nesse país.

Photobucket

Me lembrei na hora das Olimpíadas de Pequim, onde o uniforme deles chamou atençao, e até arrisquei a perguntar o preço pra velhinha que tava vendendo. Logo mais a minha esposa me disse: “Usar um tipo de roupa como essa por aqui é uma declaração política muito forte”. E de fato aprendi que é mesmo. Mal ou bem ela responde a pergunta “De que lado você está?” e não raro vejo pessoas por aqui com esse agasalho completo, escrito Russia bem grande, como numa demonstração de orgulho russo.

Em julho desse ano tive um certo choque ao ver uma loja que vendia somente a coleçao da Bosco Sports, que , convenhamos, tem um gosto bem pitoresco e forneceu material esportivo pros comitês olímpicos da Russia, Ucrânia e Espanha…

Photobucket

Uma vez que as próximas olimpíadas de inverno serão em Sotchi, na Rússia, naturalmente que a Bosco está explorando ao máximo essa oportunidade.
Photobucket

Passei la semanas atrás e a loja não existe mais. Se foi sem deixar nem rastro. Não me perguntem por que.

Vendo Bosco pra lá, Bosco pra cá, vocês devem estar se perguntando: donde carajos saiu essa marca, e porque ela faz esse tipo de coisa?

Primeiro é importante frisar que a Bosco Sports é apenas uma das várias ramificaçoes de negócio do grupo Bosco de Ciliegi (isso mesmo, “campo de cerejas” em italiano), de propriedade do milionário russo Mihail Kusnerovich,  que algumas pessoas alegam ter ligações com a máfia russa, mas quem sou eu pra me meter num assunto desses, certo?

Numa entrevista que li dele na época das Olimpíadas ele dizia que a sua marca está mais pra uma Virgin (marca que atua em setores diversos como gravadora, companhia aérea, telefonia e até mesmo bebida) do que uma Nike. Ou seja,  esse grupo é poderosíssimo na Russia e eles estão mais preocupados em ser uma marca de estilo de vida, do que uma marca especializada em esporte.

A pretensão de Kusnerovich parece ter surtido efeito, porque enquanto o mundo questiona o gosto das roupas que eles criam, os russos adoram, vestem com orgulho e mesmo sendo caras, e olha que a Russia é um país com uma população enorme até fora dos seus limites territoriais…

Voltando às roupas, apesar do sumiço da loja,  na Sportland principal de Tallinn vi que tem uma seção, bem escondidinha no fundo da loja, dessa Bosco Sport. Um cantinho dedicado aos orgulhosos russos e ucranianos que vivem na cidade.

Photobucket

Photobucket

Digamos que pra vestir esse orgulho eles pagam caro e  muito, uma vez que todas peças saem num preço totalmente  acima da media dos produtos da Estonia,  a ponto de uma jaqueta como essa da Ucrânia custar assombrosos 300  Euros. tá bem que super acolchoada, com detalhes em pele no capuz, mas não é pra tanto…

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Photobucket

 

Não vou dizer que tudo é  estanho. A mochila e  a camiseta eu até que achei vestíveis, mas mesmo assim é um preço acima da média, talvez pra agradar os novos ricos da Russia, que têm prazer em pagar caro, afinal pra eles “o que não é caro não é bom”… true story.

Photobucket

Photobucket

Mesmo assim quem quiser encomendar algo, fique à vontade pra conferir o preço nesse álbum e prepare o bolso!

02
out
12

Bem antes da Croácia

Passeando por alguns álbuns de colecionadores no Facebook, acabei encontrando uma camisa  que me chamou muita atenção por lembrar muito o template cassico da camisa da Croácia, e bem antes do país sequer voltar a ser independente. O modelo que me refiro é o do Manchester City (isso mesmo, o primo pobre de Manchester que tá na moda agora), da temporada 1986-1987:

Tento imaginar o choque da torcida ao ver o time entrando em campo assim naquela época…

 

Note também a sutil diferença pra esse modelo com outro patrocinio. Não só parece que as cores do quadriculado foram trocadas (onde tava uma cor tá outra), como também a  altura do escudo e patrocinios também mudou, e não parece ser por variação de tamanho…

Ah, e esse modelo reforça ainda mais a teoria do Felipe Marx de que  não é de hoje que a umbro curte um modelo quadricular.

😉

01
out
12

Especial Viagens (edição 3) – Riga (Letônia): apenas a 1a impressão

Minha primeira viagem saindo da minha nova casa foi pra capital dum país vizinho que fica mais perto do que a distância Rio-São Paulo: de Tallinn pra Riga, na Letônia, a distância de carro é de apenas 4 horas,  e por isso que a integração entre os dois países é intensa assim como da Estonia com a Finlandia (que de barca leva 2 horas no máximo).

A Letonia até parece ser um pouco melhor de bola do que Finlandia e Estonia (participaram inclusive da Euro 2004, o que por essas bandas é a verdadeira glória), porém o que ofusca o esporte é o basquete e também o hockey, que os russos adoram e portanto agrada a maioria dos imigrantes vindos de lá. O grande símbolo LetÇonia no esporte atualmente é o Dynamo Riga (ou R?gas Dinamo ), que participa da KHL (Liga Continental de Hockey, que participam times da Russia, Eslovaquia, Ucrânia, Republica Tcheca, Bielorússia, Cazaquistão  e Letonia) e por conta disso parece que todo o marketing da cidade é ligado à esse time.

Falando de material esportivo, até que nas lojas de souvenirs achei uma camisa piratona ou outra, mas nada oficial. Inclusive em lojas de artigos esportivos consegui a façanha de não achar nenhum uniforme de seleção alguma da Letonia. No máximo achei uma prateleirazinha com alguns artigos mais pra turista ver que serviram como um mero “Welcome to Latvia, Antonio!”

Já que fiquei apenas dois dias por lá, sabia que tinha mais coisa, mas dessa primeira vez teria que  aceitar o fato de que lojas de artigos esportivos não vendiam camisas do pais.

Curiosamente, de volta à Tallinn, em duas ocasiões achei dois itens do país vizinho cor de vinho. Primeiro, no outlet a Adidas (sim, amigos, tem por aqui e vai ser tema de futuros posts, aguardem…) um moleton, associando a NBA ao país, provavelmente por conta do jogador Andris Biedri?š que joga na tal liga.

O outro item também é bem curioso, é a camisa abaixo, que mesmo se nao for, daria uma ótima camisa retrô da seleção da Letônia (e quando digo retrô, no caso dos países bálticos, é algo BEM retrô mesmo, já que em geral eles foram independentes por cerca de 20 anos apenas, antes de anexados pela União Soviética em 1940). Digo que daria porque a seleção de futebol nunca vestiu Le Coq Sportiff, mas mesmo assim ficou um modelo muito legal:

E aí, o que acharam?

Fica o registro de que essa foi apenas a primeira impressão da cidade, de quem chegou e teve apenas 2 dias pra conhecer e procurar as lojas de artigos esportivos. Vai ter ainda muito ais pra se contar de lá, podem aguardar!

Na proxima edição da série, uma visita à uma cidade que respira “calcio”: Milão!

27
set
12

Especial Viagens (edição 2) – Tallinn, Estonia: as primeiras semanas

Recém chegado pra viver por aqui, logo que consegui um pouco mais de tempo, foi à caça de lojas de artigos esportivos, porém…

1)Assim como na Finlândia, Futebol não é bem o forte da Estonia, e por isso não se acha assim tanta coisa como eu esperava.

2)Havia apenas duas redes de lojas esportivas quando cheguei: Sportland e Rademar. Meses atrás a Sportland comprou a Rademar e virou praticamente um monopólio, se desconsiderarmos as Nike e Puma Stores que eles têm por aqui.

Pra começar um stand que em toda loja por aqui tem, de artigos da Estonia, direcionado para turistas, ao meu ver.

“Welcome to Estonia, Antonio!”

 

Abaixo, a camisa da seleção local, que não passa d camisa do Brasil com outras cores, porém o tom de azul é bem bonito mesmo.

Já que estamos falando de Europa, cachecol não ppode faltar, e eles também fazer cachecóis comemorativos, como essa da Ucrânia e Estonia no mesmo modelo, pra promover o anistoso que ia acontecer a poucos dias.

Como todo país báltico que se preze, no basquete eles se garantem mais que no futebol, e por isso que o esporte é super popular por aqui, participando de torneios internacionais e tendo inclusive jogadores estrangeiros no campeonato local. Abaixo a camisa da seleção estoniana de basquete, produzida pela AND1

 

Detalhe da nuca do unforme da seleção.

Esse era o uniforme antigo. Meio sem graça, mas vá lá…

Um dos times mais populares daqui é o Kalev Basketball Club. Abaixo o uniforme feito pela Nike

O Hockey é um esporte que por aqui ainda tá pra pegar. Eles até possuem um ginásio grande pro esporte, mas o time local, HC Panther, ainda não participa de grandes competiçoes e pelo que soube até mudou de nome e mascote.

Ah, é bom considerar que, sendo uma ex-república soviética, a Estonia possui a maior porcentagem de imigrantes da Europa, o no caso a maioria deles russos. Sendo assim, um item bem fácil de se char nas lojas são uniformes da seleção russa, pra suprir a demanda dos russos que moram por aqui e seus descendentes. O preço eu não achei assim tão barato não, mas pelo menos no outlet eu consegui essa camisa branca por uns 30 Euros, então já valeu.

 

 

Sobre a Estonia eu ainda tenho bastante material a ser compartilhado, mas vou passando com o tempo, depois de mostras outros lugares, como Riga, a capital da Letônia que vou apresentar no próximo episódio de 3a feira. Aguardem!

🙂

25
set
12

Quis seguir o estilo da Alemanha, porém…

Na Eurocopa de 88 (e na Copa de 90), seleções como Holanda e Alemanha e União Soviética chamaram atenção por conta da diferente (e por que não dizer, revolucionária) estampa de seus uniformes, que mal ou bem foi a pedra fundamental para as maiories pirações gráficas que vimos nos anos 90.

O problema foi quando uma marca menor resolveu se inspirar nesse estilo e fazer algo que lembrasse o uniforme da Alemanha…

 

Bem, valeu a intençao da Nanque em fazer um uniforme criativo pro Banfield da Argentina…

 

22
set
12

Inspiração napolitana ou Zeitgeist?

Um dos desenhos mais criativos e icônicos que se tem notícia na história dos uniformes esportivos é o da Alemanha de 1990, que é quase uma unanimidade entre os colecionadores, ou ao menos entre aqueles que testemunharam a seleção alemã vestindo esse uniforme.

Após o sucesso na Copa do Mundo de 1990, outros times também vieram a estampar um deseho semelhante, como no caso do Boca Juniors, União Soviética e ____. Porém… o Napoli também, só que ANTES da Copa da 1990!

 

Em todos os registros que encontrei desse unfiorme, este é descrito como da temporada de 1989-1990. E mesmo na imagem abaixo que encontrei neste site informa que a mesma foi feita em Maio de 1990, e a Copa aconteceu em Junho de 1990.

 

Não estou acusando Adidas de plágio, mas é uma coincidência muito grande esse mesmo desenho estampar o uniforme do Napoli, fabricado pela Enerre,  e meses depois o da seleção alemã. De fato pode até mesmo ter acontecido o contrário, se a seleção alemã já estivesse jogando com o novo uniforme antes da Copa e a Uhlsport, bem rapidinha, foi e fez sua versão pro time napolitano. Apenas quis levantar essa questão, sem querer defender uma marca ou outra, até porque pode até ter side coisas do Zeitgeist mesmo,  por que não?




Esse blog é dedicado à todo tipo de roupa que tenha algo relacionado à esporte, do Cricket ao Futebol Gaélico. Esporadicamente postarei algo de StreetWear quando interessante.
Carioca, 28 anos, colecionador de sportwear há pelo menos 13 anos e cursando o 2o. ano de Moda da Universidade Cândido Mendes(RJ). Não me limito à colecionar peças de futebol apenas. Já que meu foco é antes de tudo a estética da roupa e a "wearability" (além da história e preço da peça), me intesso por uniformes de Rugby, Polo Eqüestre, Basquete, Volleyball, Hockey, Cricket, Futebol Australiano ,Futebol Gaélico e qualquer outro esporte que inventarem e tiver um uniforme bonito pra se usar por aí...
julho 2017
S T Q Q S S D
« maio    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Minha Coleção + peças à venda

Blog Stats

  • 706,116 hits