Posts Tagged ‘futebol

28
nov
12

Especial Viagens (edição 14) – Tallinn (parte 3: no estádio da seleção nacional UPDATE)

Como havia prometido à vocês, voltei ao estádio da seleção nacional da Estonia, o A. Le Coq Arena , para ver o que pintou de novo por lá nos últimos meses. Pra vocês conferirem melhor não só a loja em sia e suas novidades, aproveito pra mostrar algumas coisas que vi ao me aproximar do estádio.

 

Começando por um carro decorado com o escudo do Kalev, provavelmente da comissão técnica do clube. Apenas fiquei pensando o quanto poderia dar de problema no Brasil um carro decorado com o escudo de alguma time bem grande circulando por regioes onde o tal time não é unanimidade…

Photobucket

 

Na Europa em geral as torcidas organizadas costumam demarcar território colando stickers em postes ou lugares do tipo. Nos arredores do estádio tinha uns postes que pareciam verdadeiros totens de tantos adesivos. Particularmente até acho legal porque o post não fica tao sem graça e você acaba vendo que torcidas passaram por aquele lugar. Nas fotos abaixo vemos stickers de times da Russia, Irlanda, Hungria e outros…
Photobucket

Photobucket

Photobucket

 

Já que muitas vezes as partidas da liga estoniana não enchem estádio, geralmente as partidas do time dono da casa, Flora FC, acabam acontecendo mesmo nesse mini estádio fora do estádio em si. Podemos até dizer que essa sim é a verdadeira casa do Flora.

Photobucket

 

Se aproximando do estádio, se vê a lojinha da Sportland lá no cantinho, perto do carro.

Photobucket

Photobucket

 

Na vitrine, os novos uniformes da seleção nacional, assim como o primeiro uniforme feito pela Nike, emoldurado.

 

Em mais detalhes, o ponto onde mostram o novo uniforme da seleção

Photobucket

Photobucket

Dessa vez também cheguei a encontrar o uniforme de treino dele. Nada demais, porém mais discreto e barato.

Photobucket

Ainda vendia camisas mais antigas da seleção, mas a oferta de tamanho era bem reduzida.

Photobucket

Photobucket

Além da linha de futebol da Estonia, também estão à venda os uniformes usados pela delegação olímpica nacional nas últimas olimpíadas. A t-shirt eu curto muito por conta da tipografia.

Photobucket

 

Uma jaqueta N98 versão mais atualizada…

 

Photobucket

Photobucket

E uma polo simples, mas  bem classuda.

Photobucket

A novidade dessa vez ficou por conta das camisas de tmes da Estônia também.  Da última vez não tinha uma oferta assim tão grande , mas dessa vez capricharam mais na variedade.

Photobucket

 

A camisa do Nõmme Kalju, atual campeão da liga.

Photobucket

Modelo away

Photobucket

Camisa do Levadia, o time dos imigrantes russos, dessa vez também tinha, apesar de ser um modelo bem genérico.

Photobucket

 

 

Camisa do Tallinna Kalev, fabricada pela Jako

Photobucket

E o modelo do ano passado, do centenário do clube.

Photobucket

 

A camisa do Paide também é interessante com esses  raios do padrão Nike, e as cores me fez lembrar do Bonsucesso, hehehe…

Photobucket

Bom, além das novidades já mostradas acima, outra grande novidade é que agora você pode comprar qualquer uma das camisas que vocês acabaram de ver! Já que estou passando no Brasil em dezembro, se você tiver interesse em alguma dessas camisas, dê uma conferida nesse album do Facebook que eu fiz, e lá você pode saber mais detalhes sobre preço, tamanhos disponíveis e como comprar, certo?

Acesse lá, leia o subtitulo do álbum e me manda um email, para tonibordallo@gmail.com

 

Boas compras!

 

 

 

Anúncios
19
nov
12

Especial Viagens (edição 13) – Riga (parte 2: agora sim, futebol!)

Uma coisa que não entrava na minha cabeça da primeira vez que fui à capital da Letônia,  Riga, era como eu não tinha encontrado absolutamente NADA relativo à futebol por lá. Não que o time letão seja um primor no esporte bretão, mas entre os países bálticos, a Letôna é a unica que conseguiu a proeza de meramente se classificar para a fase final de uma Eurocopa, a de 2004 em Portugal, o que pelo menos por essas bandas acabou fazendo ela ter mais moral do que qualquer outra seleção.

Após analisar mapas da cidade  acabei descobrindo que o estádio que a seleção joga, o Skonto Stadium, era relativamente perto do hotel onde estava, e por isso fiquei mais próximo de concluir minha missão por0 lá: encontrar vida futebolística na Letônia.

Chegando no complexo do Skonto Stadium, de cara, um grande ginásio do comitê olímpico local.

Já que a cor do país é grená, as dependências do estádio nacional me deram a sensaçãode que estava em plena rua Javari, est[adio do Juventus da Mooca, time elegantemente grená. E a bem da verdade esse parecia  ser apenas um pouquinho maior que o alçapão juventino.

Depois de muito fuçar, entrar por salas vazias como um cão que vê uma porta aberta e entra, consegui encontrar no café do clube uma camisa do time que dá nome ao estádio, o Skonto FC. Cobrindo a camisa, cachecóis da seleção nacional e também um comemorativo à sua participação nas eliminatórias da Champions League 2011-2012, quando enfrentou o Wisla Krakow da Polonia (sim, por essas bandas chega a ser normal lançarem cachecóis comemorativos com o seu time e o opositor impressos…).

Tirando os cachecóis da peça, vemos que a Kappa deu uma boa caprichada no uniforme,  dando uma personalizada bem legal, mas mesmo assim pagar uns 45 euros nessa peça coladinha não estava muito nos meus planos…

Seguindo mais ao norte, depois de 1 a 2 km, eis que chego no moderno complexo esportivo de Riga, onde além do Centro de Esportes Olímpicos  também há a Arena Riga (ginásio de basquete e hockey no gelo) , além de outro estádio antigo de basquete.

Por lá, depois de muito perguntar finalmente  encontrei uma loja que, em comparação com as outras que tinha ido antes, era o verdadeiro paraíso do futebol letão.

De cara, claro, o modelo atual da seleção da Letônia. Com o template moderno da Adidas, mas ainda assim bem similar ao anterior.

 

Sim, também tinha camisas dos times locais, mas ao contrário da Kappa com o  Skonto, a Adidas extrapolou um pouco na padronização do glorioso Ventspils…

… e também não deixou por menos com o popular Metalurgs (o único time que vi gente na rua por lá usando camisa)…

 

Além disso também tinha cachecol a dar com o pau . “Sarauj!”, segundo o Google translator, é  algo como  “Quebrem!”. Vamo quebrar tudo!

Bonés da Letônia…inclusive pra corno, lá embaixo,  e gorro com caspa embutida.

Também bonés e gorros dos times de lá, inclusive do FC Jurmala que eu não achei camisa.

Pra mim a  surpresa interessante dessa visita foi essa camisa alternativa da Letônia da foto:

Na verdade eu tinha visto esse modelo numa loja de souvenir pra turista na cidade antiga,  o que, mesmo com etiqueta oficial da Adidas eu pensei na hora: “Mas que falsiê mais cara de pau!”. Porém na loja oficial acabei também encontrando o mesmo modelo, a um preço bem mais em conta (uns 20 e poucos Euros,  comparado aos quase 50 da oficial), e olhando bem, até  que fica sendo mais  interessante, por ser um modelo com 2 tons de grená, isso sem falar que se trata de um modelo da Adidas sem necessariamente vir com as já tão óbvias 3 listras no ombro.

 

 

[Satisfação ao leitor:  talvez você estivesse esperando hoje um post atualizado da loja do Estádio de Tallinn, como havia comentado no último post. O problema é que recentemente acabei perdendo a câmera com todas as fotos que  tinha tirado por lá dias antes. Assim que eu for de novo por lá e tirar outras fotos o post será publicado. Obrigado!]

01
out
12

Especial Viagens (edição 3) – Riga (Letônia): apenas a 1a impressão

Minha primeira viagem saindo da minha nova casa foi pra capital dum país vizinho que fica mais perto do que a distância Rio-São Paulo: de Tallinn pra Riga, na Letônia, a distância de carro é de apenas 4 horas,  e por isso que a integração entre os dois países é intensa assim como da Estonia com a Finlandia (que de barca leva 2 horas no máximo).

A Letonia até parece ser um pouco melhor de bola do que Finlandia e Estonia (participaram inclusive da Euro 2004, o que por essas bandas é a verdadeira glória), porém o que ofusca o esporte é o basquete e também o hockey, que os russos adoram e portanto agrada a maioria dos imigrantes vindos de lá. O grande símbolo LetÇonia no esporte atualmente é o Dynamo Riga (ou R?gas Dinamo ), que participa da KHL (Liga Continental de Hockey, que participam times da Russia, Eslovaquia, Ucrânia, Republica Tcheca, Bielorússia, Cazaquistão  e Letonia) e por conta disso parece que todo o marketing da cidade é ligado à esse time.

Falando de material esportivo, até que nas lojas de souvenirs achei uma camisa piratona ou outra, mas nada oficial. Inclusive em lojas de artigos esportivos consegui a façanha de não achar nenhum uniforme de seleção alguma da Letonia. No máximo achei uma prateleirazinha com alguns artigos mais pra turista ver que serviram como um mero “Welcome to Latvia, Antonio!”

Já que fiquei apenas dois dias por lá, sabia que tinha mais coisa, mas dessa primeira vez teria que  aceitar o fato de que lojas de artigos esportivos não vendiam camisas do pais.

Curiosamente, de volta à Tallinn, em duas ocasiões achei dois itens do país vizinho cor de vinho. Primeiro, no outlet a Adidas (sim, amigos, tem por aqui e vai ser tema de futuros posts, aguardem…) um moleton, associando a NBA ao país, provavelmente por conta do jogador Andris Biedri?š que joga na tal liga.

O outro item também é bem curioso, é a camisa abaixo, que mesmo se nao for, daria uma ótima camisa retrô da seleção da Letônia (e quando digo retrô, no caso dos países bálticos, é algo BEM retrô mesmo, já que em geral eles foram independentes por cerca de 20 anos apenas, antes de anexados pela União Soviética em 1940). Digo que daria porque a seleção de futebol nunca vestiu Le Coq Sportiff, mas mesmo assim ficou um modelo muito legal:

E aí, o que acharam?

Fica o registro de que essa foi apenas a primeira impressão da cidade, de quem chegou e teve apenas 2 dias pra conhecer e procurar as lojas de artigos esportivos. Vai ter ainda muito ais pra se contar de lá, podem aguardar!

Na proxima edição da série, uma visita à uma cidade que respira “calcio”: Milão!

07
maio
12

Futebol + Escolas de Samba

Mesmo o carnaval tendo acabado meses atrás, uma boa descoberta que gostaria de compartilhar com vocês é a história abaixo:

 

Lá pra idos de 2009, enquanto estava no trecho final do Sambódromo esperado a próxima escola chegar (talvez você não saiba, mas dependendo do setor que você esteja no Sambódromo você pode esperar até 40 minutos pra ver a escola que acabou de entrar na avenida), naquela situação meio boring, sem muito pra fazer, e então comecei a esboçar como seria se as escolas de samba fossem como times de futebol,  tendo cada uma sua camisa estilizada, com suas cores, detalhes impressos, como seus respectivos gritos de guerra, nome da bateria e  et cetera. A idéia me pareceu legal, mas acabou congelada pelo tempo, talvez desmotivado pelo fato de que eu não teria como produzir tais modelos pra vender, e a  chance de ter esse trabalho todo, publicar no meu blog e outra pessoa copiar não valeria a pena.

Eis então que dias antes do carnaval estou eu  passando por uma loja de souvenirs e me deparo com isso:

Dias depois enquanto zapeava pela TV, vejo Neguinho da Beija-Flor aparecendo com uma camisa muito style que lembrava o modelo atual da Argentina, mas… com o escudo da própria Beija-Flor de Nilópolis???? (obs: foto tirada da coluna do Alcelmo Góis, quem conhece sabe da relevância)

Depois disso começo a ver que esse tipo de modelo retrô foi tomando conta  da mídia aos poucos, como vocês podem ver nos links aqui, aqui, aqui e aqui.

Em vez de ficar bolado (e pensar estupidamente que alguém copiou minha idéia), fiquei foi feliz de ver que alguém teve a  atitude de transfrmar em realidade aquilo que anos antes eu tinha sonhado.

Investigando melhor – e vou dizer que nao foi fácil, pois na foto que tirei, mesmo com zoom foi dificil achar o nome – consegui  descobrir quem estava fazendo tais modelos. E qual surpresa foi a minha ao ver que na real a marca que faz camisas de futebol pra escolas de samba é uma banda de Rock! A Rocka Zero:

[inclusive recomendo dar uma conferida lá no site deles]

Mesmo com poucos dias livres no Brasil, fiz questão de conversar mais com o idealizador de tudo isso, o baterista da banda, que me contou que na verdade a idéia surgiu quando ele começou a produzir algumas camisas pra banda, e depois disso acabou lançando camisas retrôs de times de futebol – que acabaram virando um sucesso –  e na seqüência teve a idéia de aliar escolas de samba com esse know-how das camisas retrô que já fazia.

Ele contou que no início foi dificil, que não muitas escolas toparam a empreitada, mas ao ver o impacto de mídia que teve o lançamento da coleção da Porto da Pedra (uma escola pequena, se comparada às mais tradicionais), trataram de considerar a idéia rapidinho. Os modelos? Dá uma conferida abaixo:

A sacada legal que o pessoal da Rocka Zero teve pra fazer as camisas foi fazer uma certa associação das cores de cada escola com o template de  times ou seleções que já usavam tais combinações. Além da Beija-Flor/Argentina já citada, a campeã do carnaval 2012, Unidos da Tijuca , saiu com umvistoso modelo à la Boca Juniors:

A União da Ilha ficou mais parecendo os ultimo modelos do Bahia, coma  vantagem de não aparecer aquele patrocinio nada a ver…

O modelo que destaco do Salgueiro é esse com a faixa, que me lembrou muito o da Tunísia, só que ainda melhor, considerando que o referido modelo é tão apertado no corpo que dificilmente você fica à vontade nele.

Outro modelo que gostei muito foi o da Mocidade, que mesmo sendo simples, essa faixa na manga acabou me lembrando um pouco o estilo dos times da NASL, a antiga liga norteamericana de futebol (aquela mesmo que jogou o Pelé), como o Rowdies.

(à propósito, esse modelo também me fez lembrar o Rica Perrone , que é apaixonado pela Mocidade…)

Além desses modelos, tem muito mais lá no site deles.  Pessoalmente falando,  esses modelos de camisa são muito mais usáveis fora do carnaval que as camisas que tradicionalmente vendem nas escolas de samba. Pode até o carnaval estar bem longe que a elegância desses modelos é pro ano todo!

🙂

02
abr
12

A gola patrocinada subliminarmente

Agora há pouco tava zapeando a TV e no Eurosport2 tava passando um clássico da Ekstraklasa*:  Jagiellonia Bia?ystok x KGHM Zag??bie Lubin…

Tirando os uniformes acertadinhos, ficou evidente demais nos dois uniformes um retângulo rosa na altura da gola dos  dois uniformes: era o patrocínio da Deutsche Telekom, a companhia Telefônica alemã. Até aí tudo bem, até mesmo porque eles patrocinam a liga polonesa, também conhecdia como T-Mobile Ekstraklasa.

Mas daí…patrocinar a gola da camisa do goleiro???

Grzegorz-Sandomierski goleiro

Sim, porque há outra explicação pra essa gola do nada ser cor de rosa se o uniforme é verde e as cores do clube são vermelho, amarelo e preto???

*=A primeira divisão polonesa de futebol.

19
mar
12

Futebol Gaélico + Japão +Glee

Já que no último post falamos de St. Patrick, falemos de um esporte popular lá pras bandas da Irlanda: o futebol Gaélico. O futebol gaélico sozinho já é um item pitoresco: um tipo de rugby mais light onde pontua bola na rede e também acima dos arcos. Adicionamos então  fato de ter uma seleção JAPONESA praticando esse esporte, e abaixo vemos o uniforme deles:

Agora se botarmos uma pitadinha de Glee, o que encontramos?

Se não associaram,  “Don’t stop believing ” é o nome de um rockzinho do início dos anos 80, tocado pela banda Journey, que voltou a ficar famoso ultimamente devido à performance feita pelos atores da série Glee. Pra quem não associou ainda, o vídeo abaixo:

http://www.youtube.com/watch?v=5WxPyUzWSPA

teve gente que se empolgou com a  atmosfera Glee e  garantiu sua camisa no eBay…

 

…don’t stop belieeeeeeeeving…

 

🙂

 

 

25
fev
12

Balanço do Carnaval 2012

Já que o editor desse blog  que vos fala voltou pro Brasil a turismo (se ainda não entendeu bem, acesse esse link), resolvi aproveitar também os dias de carnaval nos blocos do Rio de Janeiro, e por isso que o post de hoje ostra apenas alguns cliques de camisas de futebol que foram tirados nesses dias de folia na Cidade Marailhosa

Pra começar, esse simpático ambulante botafoguense com esse esquisito chapeu feito de palha verde:

Nesse mesmo bloco da Av.Rio Branco, avistei esse senhor com uma camisa pirata do Vitória, cujo o curioso é o fato de ser aquele mesmo modelo da camisa preta, mas sendo branca, o que resultou num mock up curioso.

No bloco da Orquestra Voadora, um dos melhoras na minha humilde opinião, encontramos dois instrumentistas da orquestra com camisas de futebol: uma da Hoalnda e o outro com uma camisa do América. O detalhe é que se tratava sim de uma camisa original da época, demonstrando inclusive os desgastes naturais do tempo. Da até pra entender esse sorrisão no rosto…

E falando em privilegiados, outro da banda estava com o uniforme completo da seleção brasileira de basquete , com direito a short e  também numeração e nome do Varejão costurados.

Além dele também tinha  outro jogador de basquete lá, mas que se destacava pela altura…

Ah, e eu também não ia me fazer de rogado e participei tocando repique no bloco, devidamente paramentado com uma camisa da seleção do país onde moro:

;D

Apesar das fotos acima, a grande surpresa mesmo eu não consegui fotografar: no bloco Simpatia é quase amor, em Ipanema, avistei um rapaz vestindo uma camisa retrô da Colombia, nada menos que a vermelha de 1990, e parecia que era modelo recente mesmo, comprado por aquelas bandas, ja que na parte de trás aparecia não só o 10, mas o nome Valderrama logo acima, o que leva a crer que na Colombia eles estão fazendo essas caisas da mesma forma que na Argneitna fazem a do Maradona. Ainda não achei foto na web e muito menos lugar vendendo, se acharem, podem mandar pra mim que eu publico!

 




Esse blog é dedicado à todo tipo de roupa que tenha algo relacionado à esporte, do Cricket ao Futebol Gaélico. Esporadicamente postarei algo de StreetWear quando interessante.
Carioca, 28 anos, colecionador de sportwear há pelo menos 13 anos e cursando o 2o. ano de Moda da Universidade Cândido Mendes(RJ). Não me limito à colecionar peças de futebol apenas. Já que meu foco é antes de tudo a estética da roupa e a "wearability" (além da história e preço da peça), me intesso por uniformes de Rugby, Polo Eqüestre, Basquete, Volleyball, Hockey, Cricket, Futebol Australiano ,Futebol Gaélico e qualquer outro esporte que inventarem e tiver um uniforme bonito pra se usar por aí...
novembro 2017
S T Q Q S S D
« maio    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Minha Coleção + peças à venda

Blog Stats

  • 711,626 hits